Trocar Plano Tradicional por PGBL

Muitos que têm previdência privada em bancos e seguradoras me perguntam se devem trocar um Plano Tradicional por um PGBL ou VGBL. Resposta: nunca.

Pergunto: alguém trocaria o certo pelo duvidoso, especialmente em se tratando de dinheiro e do seu futuro?

Vamos explicar: antes, existiam só os chamados Planos Tradicionais, como o FAPI.

Eles garantiam uma rentabilidade na fase de acumulação, geralmente IGPM mais 6% ao ano. Muitos iam além: dividiam a performance quando ela superava o IGPM mais 6%.

Isso dá segurança ao contribuinte. A responsabilidade de gerar rentabilidade cabe toda ao banco ou seguradora, que garantem a reserva acumulada e o valor da aposentadoria. Por isso esses antigos planos são chamados de benefício definido.

Para fugir dessa responsabilidade, a partir de 1.997, surgiram os planos PGBL e VGBL, de contribuição definida. Sabe-se o valor da contribuição, mas não há garantia do benefício. Ele vai depender da poupança previdenciária acumulada.

Olha o perigo: o banco aplica o dinheiro, mas o risco do valor da aposentadoria é totalmente transferido para o segurado.

Daí eu alertar sempre para ficarem atentos à rentabilidade desses planos.

Anúncios