A arte de poupar

Uma dificuldade enorme para o brasileiro é: poupar.

Poupança é diferimento de consumo. É deixar de consumir um pouquinho hoje para poder ter dinheiro para consumir no futuro.

Esse nosso vício econômico tem duas origens: a nossa cultura ibérica e a inflação.

A cultura ibérica nos induziu sempre a esperar tudo do governo e deixar com ele o nosso futuro. Quando chegar a hora, ele dá um jeito. Não é assim que pensamos?

E décadas de inflação estratosférica nos forjaram a pensar só em conseguir passar o mês, a olhar só no curto prazo. Não aprendemos a fazer e cumprir um orçamento, a planejar e a saber a importância e o valor do dinheiro, pois ele já não tinha o mesmo valor no dia seguinte.

Mas o Brasil e o mundo mudaram. Mais do que nunca está provado que sem poupança não há crescimento nem riqueza, pessoal ou nacional. A China, depois de séculos, saiu da obscuridade para a vanguarda econômica exatamente por aprender a poupar. Lá, de cada U$ 100 que um chinês ganha, U$ 43 ele poupa.

A verdade é que quem só gasta e vive no vermelho engorda a riqueza dos bancos.

Enquanto não aprendermos a guardar, no mínimo, 10% da nossa remuneração mensal, seremos sempre pobres e dependentes.

Anúncios

Um comentário em “A arte de poupar

  1. Os chineses conseguem poupar porque não possuem uma carga tributária tão grande quanto a nacional, o valor que eles poupam qualquer brasileiro paga de impostos, isso sem contar o alto custo para suprir as necessidades básicas, moradia e alimentação consomente mais de 60% do rendimento da maioria da população brasileira, que sem ter como investir não consegue poupar, alias poupar no Brasil não dá o retorno que se tem no exterior, a cultura americana é de usar a poupança para investimento (ações e fundos de rendimentos) a preocupação não é em ter uma casa própria, aliás nem é necessidade básica, enquanto isso no Brasil vivemos o fenômeno da construção civil e uma supervalorização desmedida da casa própria, financiados com recursos governamentais e com juros acima dos índices aceitáveis da economia mundial.
    Diminuam a carga tributária e baixem os juros da economia e o Brasil conseguirá atingir um crescimento real e pularemos da oitava para a 4ª economia do mundo em 2 anos seguramente.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s