Informação não é nada

O maior cego é o que não quer enxergar, assim como o maior analfabeto é o que aprendeu a ler e não lê e o maior ignorante é o que tem informação e não sabe usá-la.
Em tempos de comunicação instantânea, de redes sociais, de Internet, chegamos à democratização da informação e são muito poucos os que podem alegar desconhecimento sobre as coisas mais importantes de uma nação e do mundo.
Entretanto, só ter informação não garante absolutamente nada.
Ter discernimento para elaborar a informação é o que traz sabedoria, sucesso e realização.
Vou fazer 4 perguntas, com informação mais que suficiente disponível na Internet:
• primeira, você, amigo ouvinte, sabe quanto é o juro mensal do teu cartão de crédito?
• segunda, qual o percentual de imposto e de contribuição social que debitam do teu salário?
• terceira, qual a meta de inflação deste ano?
• por fim, do que você precisa para se aposentar, quando e quanto vai receber?

Olha, se você não sabe as respostas, não se surpreenda. A maioria dos brasileiros também não sabe e, mesmo sabendo, talvez não as usasse em seu benefício ou da sociedade.
Por isso mesmo, são manipulados pelo governo, pelo comércio e pelos bancos
Leonardo da Vinci já dizia: “quem pensa pouco, erra muito”.
Eu completaria: quem não sabe pensar é um ignorante, quem não se atreve a pensar, um escravo, e quem não quer pensar, um fanático ou preguiçoso.

Consultas sobre finanças e previdência : (41) 3013-1483

Anúncios