A importância da mesada

Pesquisa da Fecomércio de São Paulo apurou que 63% das famílias brasileiras estão endividadas. Isso mesmo, 2/3, prova cabal de que não sabemos lidar com dinheiro.
E, olha, isso é fundamental no país que tem a maior taxa de juros do mundo, inflação altíssima em vários períodos de sua história e crédito abundante.
Em países desenvolvidos, ensina-se a poupar antes de gastar. Por isso, lá não se vende a crédito. Aqui, a regra é gastar antes de poupar.
Estudos meus indicam que a classe média pode deixar metade da renda recebida na vida com os bancos. Daí a maior importância da educação financeira aqui. Mas não se faz, porque não interessa ao comércio, aos bancos e, muito menos, ao governo.
Ao comércio, porque esse não é o papel dele e ele vai receber independente de como o comprador financie. Aos bancos, porque quanto maior o juro, maior o lucro. E ao governo, para que o povo não entenda como juros, inflação e impostos impactam no bolso do contribuinte.
Educação financeira deveria ser ensinada nas escolas. No mínimo, nos últimos anos dos cursos profissionalizantes e universitários.
Na ausência, vamos ensinar nossos filhos o valor do dinheiro através da mesada. A importância de não gastar mais do que ganha, fazer o dinheiro durar o mês todo, pesquisar preços antes de comprar e poupar 2, 3 mesadas para trocar de celular ou comprar roupa de grife.
Povo educado não é explorado.
Consultas sobre finanças e previdência : (41) 3013-1483

Anúncios